Jesus fez um alto investimento na vida de um gadareno. Ele enfrentou a fúria do mar e, a seguir, a desse homem possesso. Era noite num lugar deserto, íngreme, cheio de cavernas; um cemitério onde havia corpos expostos, alguns em decomposição. Desse local sombrio sai um louco, desvairado, possesso, nu, ferindo-se com pedras, um pária, uma escória. Todos já haviam desistido dele, menos Jesus, que foi àquela terra gentílica, após um dia de trabalho exaustivo e de uma terrível tempestade, para salvá-lo. Essa é a expressão do infinito amor de Jesus.

Warren Wiersbe diz que podemos ver, nesse texto, três forças trabalhando: Satanás, a sociedade e Jesus.

1 – O que Satanás pode fazer pelas pessoas – No evangelho de Marcos 5.2,9 somos informados de que Satanás domina os seres humanos através da possessão. O gadareno estava possuído por espíritos imundos. Havia uma legião dentro dele. A possessão demoníaca não é um mito, mas uma triste realidade. Ela não é apenas uma doença mental ou epilepsia. Ainda hoje milhares de pessoas vivem no cabresto do diabo. Outra coisa que ele faz é arrastá-las para a impureza (5.2,3). Gadara era uma terra gentílica, onde seus habitantes lidavam com animais imundos. Os espíritos que estavam naquele homem eram também imundos. Por isso, levaram-no para um lugar igualmente impuro (o cemitério) para viver no meio dos sepulcros. Sua impureza era tríplice para os judeus: eles consideravam impuros tanto a terra dos pagãos, quanto o lugar dos túmulos e, por fim, a possessão. O efeito disso era, para eles, uma separação de Deus sem esperanças. Os espíritos malignos levam as pessoas a se envolverem com tudo o que é imundo. Quem pratica o pecado é escravo do pecado; quem vive na prática do pecado é filho do diabo. Há quem, hoje, entre nos cemitérios e desenterre defuntos para fazer despacho aos demônios.

2 – O que a Sociedade pode fazer pelas pessoas – Podemos afirmar que ela as afasta do convívio social (5.3,4). O máximo que ela pôde fazer por aquele homem foi tirá-lo de circulação. Ele foi arrancado da família e da cidade. Desistiram do seu caso e consideraram-no uma causa perdida. O que a sociedade pode fazer por pessoas problemáticas é isolá-las, colocá-las sob custódia ou jogá-las numa prisão (Lc 8.29). As prisões não libertam ninguém por dentro nem as transforma; ao contrário, tornam-nas mais violentas. Ainda hoje é mais fácil e mais cômodo lançar na caverna da morte, no presídio e no desprezo aqueles que caem nas garras do pecado e do diabo. Percebemos, ainda, que a sociedade dá mais valor aos porcos (coisa material) do que aos humanos. A de Gadara não apenas rejeitou o homem na sua desventura, mas também não valorizou sua cura nem sua salvação. Eles expulsaram Jesus daquela terra; amaram mais os suínos do que a Deus e àquele homem. Os animais lhes valiam mais que uma vida humana.

3 – O que Jesus faz pelas pessoas – Ele se manifestou para destruir as obras do diabo (1Jo 3.8). Diante dele, todo joelho precisa se dobrar; até os demônios estão debaixo de Sua autoridade. Primeiramente, Jesus libertou o homem da escravidão dos demônios (5.6-15). Mediante a autoridade de Sua palavra, a legião bateu em retirada e aquele que estava escravizado ficou livre. Em segundo lugar, Ele devolveu-lhe a dignidade da vida (5.15).

Eis o que nos chama atenção nessa libertação:

─ Aquele que outrora atormentava os outros e andava nu (v. 15), estava agora assentado, vestido e em perfeito juízo. Jesus restituiu-lhe sanidade mental.

─ Jesus deu-lhe uma gloriosa missão (5.18-20): enviou-o, como missionário, à sua casa, para ser uma testemunha em sua terra. Ele, que espalhava medo e pavor, anuncia as boas novas da salvação. Antes ele era um problema para a família; agora, é uma bênção. Antes, um mensageiro de morte, agora, um embaixador da vida.

Amado irmão, devemos sempre nos lembrar das palavras do apóstolo Paulo em Efésio 6.12: “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais”. Portanto, nunca desista do membro de sua família que lhe tem trazido dor, tristeza, choro e aborrecimento. Lute, através da oração, para que ele seja liberto de qualquer cegueira espiritual colocada pelo inimigo. Creia que a vitória é sua, em nome de Jesus.

Seu pastor

Rev. Romildo Lima de Freitas

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *