O Senhor Jesus afirmou: “Se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir” (Mc 3.25).

Muitos lares estão quebrados, mesmo na igreja. Para fazer do nosso o melhor lugar do mundo é necessário restaurar a harmonia nele.

Um tempo atrás li que existem cinco causas comuns de conflitos, as quais, via de regra, batem à porta de nosso lar: dinheiro, sexo, filhos, comunicação e parentes. Se não forem cuidadas, os conflitos podem ferir, machucar e destruir famílias.  Mas de onde vêm os que enfrentamos em nossa casa? A Bíblia é muito direta ao responder a essa pergunta na epístola de Tiago 4.1,2, a saber: “De onde vêm as lutas e as brigas entre vocês? Vêm dos maus desejos que estão sempre lutando dentro de vocês. Vocês querem muitas coisas; mas como não podem tê-las, estão prontos até a matar para consegui-las…”

As causas são os desejos que lutam entre si. Eu quero o que quero. Você quer o que você quer. Temos necessidades e interesses que competem entre si. Como você normalmente reage a eles no seu lar? Segundo os psicólogos são cinco as maneiras:

1.ª – Minha maneira – Esta é uma forma de reagir: “Minha maneira”. Faço valer minha vontade até que você desista. Estou totalmente certo e você totalmente errado. “Minha maneira é a única maneira.” Alguns lutam desse jeito em seu casamento; continuam lutando até ganhar.

2.ª – De maneira nenhuma – Esta diz: “Eu bato em retirada”. Evito o conflito a todo o custo. Ignoro o problema, que nunca é resolvido porque eu só vivo me afastando dele.

3.ª – Sua maneira – Desisto, finjo que estou surdo ou morto. Estou buscando aprovação e, por isso, sempre faço de contas que sou um capacho; sempre cedo à vontade do outro. É sempre do jeito dele. É uma maneira muito pacífica de viver, mas também altamente frustrante.

4.ª – Das duas maneiras – Chegamos a um acordo. Desisto de um pouco e você também. Você e eu ganhamos um pouco e perdemos um pouco. Essa maneira é melhor do que as outras três.

5.ª – Nossa maneira – Nós trabalhamos em nossos alvos mútuos juntos. Eu não apenas me preocupo em resolver o problema, mas também em cuidar do relacionamento. E me preocupo com você. Quero que tenhamos uma solução mutuamente satisfatória porque você é importante e o relacionamento também é importante. Esta é a forma correta: a decisão a dois.

Para vencermos os conflitos em nosso lar são necessários alguns passos importantíssimos, a saber:

1.º – Converse com Deus sobre o conflito – “Vocês cobiçam, mas, como não podem conseguir o que querem, brigam e lutam. Não conseguem o que querem porque não pedem a Deus” (Tg 4.2). A proposta é: antes de conversar com a pessoa com quem você está triste, converse com Deus acerca do conflito. Ore sobre isso. Admita-o diante d’Ele. Você pode resolvê-lo.

2.º – Ataque o problema e não um ao outro – “O que perturba sua casa herdará o vento…” (Pv 11.29). Ao invés de atacar seu cônjuge ou qualquer outro membro da família, ataque o problema.

3.º – Busque conselhos com pessoas de Deus – “O homem vaidoso não gosta de quem o corrige; ele nunca pede conselhos aos sábios”. “Quem rejeita conselhos prejudica a si mesmo, mas quem aceita a correção fica mais sábio” (15.12,32).

Em todas as outras áreas da vida você não tem vergonha de buscar ajuda profissional. Se você tem problema de saúde, vai ao médico que foi treinado e tem a habilidade para lidar com ele; se você tem um problema legal, vai ao advogado que é um profissional que pode ajudá-lo nesse sentido. Então, se você enfrenta algum problema de relacionamento na sua família, busque ajuda de algum conselheiro cristão. Não há motivo para se sentir envergonhado.

Quero incentivá-lo a recorrer a Jesus para que Ele tire toda a raiva, frustração, mágoas e a insegurança de sua vida e de seu lar.

Com carinho

Rev. Romildo Lima de Freitas

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *