A evangelização e o discipulado são responsabilidades da Igreja, como instituição, mas também são responsabilidades individuais. Muitas pessoas ficam sempre esperando a Igreja montar um programa evangelístico ou de discipulado e convocar seus membros para executá-lo. Porém, independentemente dos programas adotados pela Igreja, cada cristão, individualmente, deve se sentir responsabilizado a ser um porta-voz da boa nova da salvação. A respeito dessa questão, o controvertido teólogo Paulo Tillich fez uma declaração muito sábia: “Toda vez que membros da igreja se encontram com aqueles que estão fora da igreja, são missionários da igreja, voluntária ou involuntariamente. Seu próprio ser é missionário.”

Em I Coríntios 9.16, Paulo fala sobre o compromisso individual com a proclamação do evangelho: “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!” Comentando esse versículo, o Dr. Russel Shedd, afirma: “Atrás de toda pregação autêntica, há uma compulsão divina. Evangelizar é obrigação de todos, querendo ou não.”

Quando compareceram perante o Sinédrio, Pedro e João dis-seram: “Pois nós não podemos deixar de falar das cousas que vimos e ouvimos.” (At 4.20). Referindo-se aos efésios, Paulo declarou: “Porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus.” (At 20.24-27). Cada discípulo de Jesus deve se sentir desafiado a proclamar o evangelho e a cuidar dos convertidos, pois a missão é responsabilidade de todos.

Ao redor de cada um de nós há, com certeza, uma verdadeira rede de relacionamentos: família, amigos, vizinhos, companheiros de trabalho, colegas de estudo, encontros casuais e muitas outras oportunidades.

permanecem nas igrejas, após as cruzadas evangelísticas, foram trazidos pessoalmente por alguém. Daí, conclui-se que o êxito da evangelização passa, necessariamente, pelo compromisso pessoal, através do interesse e compromisso dos crentes com aqueles que estão sendo alcançados. Esse corpo a corpo é a base de uma evangelização bem sucedida. Então, está disposto a assumir sua responsabilidade? Deus o (a) abençoe.

Rev. Eneziel Peixoto de Andrade

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *