Quem teme o homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro (Pv 29.25).

O temor de homens é um problema mais comum do que imaginamos. É algo que eu, você e todo o  mundo já enfrentou, está enfrentando e ainda enfrentará. Não há pecado tão prevalecente, tão traiçoeiro e tão profundo, que cause tantas consequências destrutivas, quanto o de temer mais os homens que a Deus.

O primeiro passo que precisamos dar nesse combate é buscar compreender o que se quer dizer com a expressão “temor de homens”. Há uma série de outros termos que se pode usar para descrever o que está em questão. Pense, por exemplo, nas seguintes ideias: “viver para agradar às pessoas”, “buscar a aprovação das pessoas”, “querer que as pessoas estejam sempre felizes com a gente”, etc.

“Temor de homens”, na terminologia psicológica, é, muitas vezes, descrito como “complexo de inferioridade”, “baixa autoestima”, “codependência” e “carência ou fome de amor”.

Quero fazer três observações a partir do texto de Provérbios 29.25:

1. Temor de homens é uma questão de adoração – Pv. 29.25 é formado por um paralelismo antitético, ou seja, a primeira cláusula é pensamento oposto à segunda. A mensagem é que ou você “teme o homem” ou “confia no Senhor”; ou você “cai em armadilha” ou “está seguro”.

“Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo” (Gl 1.10).

Se o oposto de confiar em Deus é temer o homem, o oposto de servir a Cristo é agradar a homens. O que se pode concluir de tudo isso?  Nossa adoração e devoção devem ter como alvo  sempre Deus. Quando substituo o lugar devido a Ele no meu coração, isso constitui-se idolatria, onde o alvo de devoção deixa de ser Deus e passa a ser o que me causa temor.

2. O temor de homens nos controla inadequadamente – Pv 29.25 diz: “Quem teme o homem cai em armadilhas”.  Quando tememos alguma coisa, ou alguém, nós conferimos poder àquilo que tememos. O pior de tudo é que, muitas vezes, o poder que conferimos a outro não é digno de ser conferido. Por exemplo: o medo de barata.  Que poder existe nela? Nenhum. No entanto, quantas pessoas vivem controladas pelo poder que elas mesmas, por temor e medo, conferem  a esse inseto?! O mesmo acontece quando tememos pessoas, quando atribuímos valor inadequado à opinião delas, quando vivemos pela aprovação e afeição delas. Nós lhes conferimos um poder que nos controla inadequadamente, fazendo com que ajamos cegamente. Resultado: caímos em armadilhas.

3. O temor de homens é vencido quando depositamos nossa confiança em Deus – Pv 29.25: “Quem teme o homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro”. O oposto do temor de homens é a confiança em Deus. É impossível adorá-lo e servi-lo se vivemos para agradar os homens (Gl 1.10). O livro de Salmos usa, com frequência, o verbo confiar e revela que confiança em Deus está diretamente relacionada ao conhecimento que temos de Deus: “O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade. Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam” (Sl 9.9,10). “O justo se alegra no SENHOR e nele confia; os de reto coração, todos se gloriam”. (Sl 64.10). “O SENHOR está comigo; não temerei. Que me poderá fazer o homem? O SENHOR está comigo entre os que me ajudam; por isso, verei cumprido o meu desejo nos que me odeiam. Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar no homem. Melhor é buscar refúgio no SENHOR do que confiar em príncipes” (Sl 118.6-9). O conhecimento do Senhor produz, em nós, fé. Quem conhece a Deus teme a Deus. Quem teme a Deus, quem confia em Deus “está seguro” (Pv 29.25). O adjetivo “seguro” (“livre de perigo”) significa “ser levado para lugar alto e inacessível. Ele é usado para descrever uma cidade elevada (Is 26.5) e um muro que, de tão alto, chega a ser impossível de escalar (Pv 8.11).

Querido, a saída contra o temor de homens está em buscar um lugar seguro através da fé na graça de Deus.

Com carinho,

Rev. Romildo Lima de Freitas

Share →

One Response to Lutando contra o temor de homens

  1. Lucas disse:

    Texto muito edificante, parabéns!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *