Somos sabedores de que, em última instância, Deus é quem escolhe, chama e capacita a liderança da sua Igreja. É o Espírito Santo quem constitui presbíteros e diáconos nela. Expressamos a vontade de Deus, no que tange à escolha dos líderes, através do nosso voto.

Estamos nos preparando para a escolha de presbíteros e diáconos, o que vai ocorrer no próximo dia 25/9. Já estamos orando por esse ato extremamente importante para a vida da nossa querida Igreja. A partir de hoje estaremos vendo alguns pré-requisitos que devem ter aqueles que a estarão governando:

1.º – O líder dever ter consciência do seu chamado divino. O apóstolo Paulo diz aos presbíteros de Éfeso: “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos para pastoreardes a igreja de Deus”. É o Espírito Santo quem constitui presbíteros na igreja. Ninguém deve buscar esse ministério, a menos que tenha consciência de que o Espírito Santo o chamou para ele. Aquele que o almeja deve estar ciente de que o presbiterato é um chamado para o serviço. De igual modo, o diácono deve ter consciência do seu chamado para servir.

2.º – O líder deve andar com Deus antes de fazer a obra de Deus. Vida com Deus vem antes do trabalho. Quando o Senhor Jesus chamou os apóstolos, designou-os para estarem com ele; só depois, os enviou a pregar. Ouvi certa vez a seguinte frase: “Deus está mais interessado em quem o líder é do que naquilo que o líder faz”. Ou seja, primeiro o presbítero e o diácono andam com Deus; depois trabalham para Ele.

3.º – O líder deve cuidar de si mesmo e do rebanho de Deus. Antes de cuidar dos liderados é de suma importância que o presbítero e o diácono cuidem de sua própria vida, pois “cuidar de si sem cuidar do rebanho é egoísmo; e cuidar do rebanho sem cuidar de si é incoerência”. O presbítero precisa cuidar de todo o rebanho e não apenas de parte dele. O líder não pode fazer acepção de pessoas. Ele precisa pastorear as ovelhas e os cordeiros, os adultos e as crianças, e isso com fidelidade, inteligência, sabedoria, graça, mansidão e amor. O líder precisa ser firme e também amável. O líder espiritual é aquele que cuida, ensina, protege e consola o povo de Deus.

4.º – O líder precisa proteger as ovelhas dos falsos ensinos. Em Atos capítulo 20 o apóstolo Paulo exortou os presbíteros de Éfeso a estarem atentos acerca dos lobos que estão do lado de fora querendo entrar no aprisco para destruir as ovelhas e dos lobos vestidos de ovelhas que estão dentro dele buscando uma ocasião para se manifestar e arrastá-las após si. Cabe aos presbíteros velar pela vida espiritual das ovelhas de Cristo. Cabe aos diáconos estar atentos às necessidades físicas e espirituais dos crentes a fim de que, na Igreja de Deus, as necessidades dos santos sejam supridas.

5.º – O líder precisa amar o rebanho. O que deve motivá-lo a cuidar do rebanho é o amor dele para com Jesus. O presbítero deve pastorear a igreja de Deus em vez de apascentar a si mesmo. Ele deve pastoreá-la não como uma pesada obrigação, mas espontaneamente. Ele deve ser amável com as ovelhas de Cristo, tratando-as com amor, servindo-lhes de exemplo, em vez de dominá-las com rigor. Por outro lado, os diáconos devem servir às mesas, cuidar dos pobres, assistir os necessitados (órfãos e viúvas) e exercer misericórdia por intermédio de seu ministério.

Soli Deo Glória

Rev. Romildo Lima de Freitas

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *