Como está hoje a sua família? Quais são seus planos para o novo ano em relação a ela? Observe, com bastante atenção, esta meditação de um amigo.

O mundo em que vivemos é um mar de lágrimas. A cada dia que passa cresce o número de famílias em crise. Aliás, é possível notar que os problemas são diversos e assustadores. Algumas famílias sofrem com o desemprego, outras com a violência, com o vício ou com a falta de perdão. Sem dizer que, em alguns lares, as lágrimas têm sido o alimento dia e noite, devido à enfermidade de um membro querido. Na verdade, o sofrimento é inevitável e, muitas vezes, colhemos as consequências de nossos atos pecaminosos. Diante de tudo isso, surgem perguntas inquietantes: O que fazer quando nossa família está em perigo? O que fazer quando tudo parece perdido? O que fazer quando o sofrimento invade nosso lar?

No evangelho de Mateus 15.21-28, encontramos uma preciosa lição de perseverança. O texto nos mostra que a melhor decisão a tomar, quando a família está ameaçada pelo sofrimento, é buscar Aquele que pode dar um basta em nossas lágrimas.

“E eis que uma mulher cananeia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada.”

Aquela mãe foi até Jesus porque estava preocupada com sua filha, a qual tinha um problema aparentemente insolúvel: estava horrivelmente endemoninhada. Ela necessitava de algo que a sociedade não podia fornecer.

Diante das maiores aflições de nossa vida, a melhor decisão é buscar a Jesus Cristo. Somente Ele pode inverter o quadro da desilusão e das impossibilidades.

Todavia, a resposta do Senhor estava longe de encorajá-la: “Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos” (Mt 15.26). Jesus já havia chamado a atenção da mulher para o fato de que Ele não havia sido enviado aos de fora de Israel (v. 24). No mesmo sentido, Ele diz que não seria justo dar as bênçãos “dos filhos” àqueles que não fazem parte de Israel.

Entretanto, aquela mãe desesperada transforma a aparente reprovação numa razão para otimismo (Mt 15.27). “Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos.” Então Jesus respondeu e lhe disse: “Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres.” E daquele momento em diante sua filha ficou curada. O amor divino é tão infinito e maravilhoso que chega a destacar um ser humano por exercer um dom – nesse caso, a fé (Ef 2.8).

Aquela mãe não apenas teve seu pedido atendido, mas também sua fé exaltada. Sua filha foi liberta e sua fé foi motivo de elogio. Voltou para casa aliviada e encontrou a filha sã. Ela perseverou, adorou, rogou e prevaleceu.

Portanto, não desista de um milagre de Deus em sua família. Sigamos o exemplo daquela mãe cananeia e apresentemos a Ele todos os nossos familiares que necessitam de um milagre. Pode parecer que estamos orando em vão e intercedendo sem qualquer proveito. Todavia, o Senhor Deus ouve o nosso clamor e no Senhor Jesus nossa vitória é certa. Não desista!

Rev. Jocarli Júnior (adaptação: Miss. Natanael M. Valim)

 

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *