Muitos, em nossos dias, têm a “mania” de deixar tudo para a última hora. Segundo dados da Receita Federal, até o dia 24 de abril apenas 41,9% dos contribuintes tinham entregado a declaração de imposto de renda, sendo que, no ultimo dia, 30 de abril, cerca de 3.399.665 a enviaram via internet.

Quem de nós nunca sofreu ao se deparar com uma infinidade de tarefas não concluídas dentro do prazo? Tenho certeza de que há dias em que muitos aqui acordam com os dedos cruzados para que uma mudança cósmica multiplique as horas do dia. Mas sempre se arrependem por terem desperdiçado boa parte dos 1.440 minutos diários que temos. As chances são grandes de sermos todos cultivadores do hábito de deixar a vida para depois.

Por quê? Resultado da má administração do tempo? Alguma programação neurológica? Falta de adrenalina? Seja o que for, o ato de adiar as tarefas diárias atinge muita gente

Podemos definir procrastinação como “ato ou efeito de procrastinar, de transferir para outro dia.”

Christian Barbosa, especialista em produtividade e autor do livro “Equilíbrio e Resultado – Por que as pessoas não fazem o que deveriam fazer”, fez uma pesquisa com 4.000 pessoas e chegou à seguinte conclusão: as quatro coisas mais adiadas pelos pesquisados foram: exercício físico, leitura, saúde e planejamento financeiro.

Perceba que tudo está relacionado à nossa mordomia. Mordomia do tempo (sem tempo para ler a Palavra de Deus), do corpo (sem tempo para cuidar do templo do Espírito Santo) e financeira (sem recursos para dizimar e ofertar). O apóstolo Paulo, na sua carta aos Efésios, nos dá uma dica do que deve ser prioridade em nossa vida. Vejamo-las: (1) – Adoração e comunhão (Ef 5.19-21); (2) – Relacionamento esposo e esposa (Ef 5.22,33); (3) – Relacionamento pais e filhos (Ef 6.1-4); (4) – vida profissional (Ef 6.5-9); (5) – Disciplinas espirituais (Ef 6.10-18). Apesar de Paulo não cobrir todas as áreas da vida (descanso, por exemplo), ele identifica alguns valores principais que devem ser levados em consideração na hora de definirmos nossas prioridades. Por que nós procrastinamos? No texto de Lucas 9.57-62 há pelo menos três causas principais: a dificuldade da tarefa; a diversidade de opções; a duplicidade do coração.

Quero sugerir três coisas que podem ajudar você nessa luta contra o gigante da procrastinação:

1. Encare o problema – Encarar o problema significa reconhecer e confessar diante de Deus o nosso pecado. Ou seja:

Nossa incapacidade de priorizar o Seu reino e sua justiça.

Nossa insubordinação ao Seu plano para nossa vida.

Nossa inconstância naquilo que Ele nos deu para fazer.

Nossa insatisfação com Ele durante a realização da tarefa.

2. Defina a prioridade – Olhe para a Bíblia e encontre o que o Reino de Deus exige de seus cidadãos. Enfim, mergulhe sua vida nas Escrituras, discirna o que se requer do cristão, encare a urgência do momento e defina o que você deve fazer e persista. Ef 5.15-18 diz: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor. Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito.

3. Busque poder – Busque poder em Deus. Busque a graça d’Ele e viva pela fé nas Suas promessas para cumprir as suas tarefas. Apenas motivação não é o suficiente. Ainda mais se ela estiver distorcida. Planos somente não o capacitarão, apesar de apontar o rumo a seguir. Nós precisamos muito mais do que boa vontade e metas bem definidas. Precisamos da graça do Pai celestial.

Querido irmão, coloque Deus como prioridade da sua vida. Busque fazer a vontade d’Ele hoje. Vença a mania de deixar para o outro dia as coisas que você tem de fazer. Aproveite o dia de hoje, pois o amanhã pertence a Deus.

Seu pastor

Rev. Romildo Lima de Freitas

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *